Saber viver...


Quando me amei de verdade,
...compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
...pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é... Autenticidade.
...parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
...comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
...comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável...
Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo.
De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
...deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos
megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
...desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
...desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro.
Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
...percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar.
Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!

Charles Chaplin
(Texto veiculado pelo Processo Hoffman da Quadrinidade)

8 comentários:

Anônimo disse...

Que texto lindo..não o conhecia.
Uma ótima quarta-feira pra ti!
Beijão da Carol.

karla nazareth disse...

muito lindo.

Fabiano Bispo disse...

excelente texto! valeu pela visita!

Renata disse...

Òlá!
Esse texto é muito lindo mesmo..eu já conhecia mas nunca é demais nos lembrarmos de nos amar, não é?!
Aproveito a oportunidade para lhe agradecer a visita no DD e dizer que gostei tanto daqui que gostaria de linká-la. Posso?!

By the way, vc ama aquela música do Pink Floyd (eu tb) e eu AMO qualquer uma do Jack Johnson!!!

Iara Alencar disse...

Ola mel
texto muito bonito.

Amor prorpio, auto-estima
simplicidade, plenitude.
palavras que só a vida ensinam.

Chawca disse...

Gostei principalemtne da parte que diz que algumas atitudes podem soar como aqrrogantes, mas na verdade é amor proprio,,,
Me livrei de algumas pessoas e coisas que me faziam mau e fui mega julgado por isso, mas só eu sei o quanto me fez bem...

Poliane disse...

Oiiii,

Está ficando show o seu blog, hein??
E o Charles Chaplin era uma pessoa muito especial... consegue nos tocar ainda hoje com suas doces palavras!!

Grande Melica!

Mélica disse...

Esse texto é realmente d+!
É uma visão diferente (e positivo) de ver das coisas que acontecem com a gente!
Será tema dos próximos posts!;)

Obrigada pelos comentários!!

Creative Commons License
Blog licenciado - Creative Commons License.