Assumindo o controle da sua vida



"Quando eu me despojo do que eu sou, eu me torno o que eu poderia ser." (Lao Tzu)


Tema do dia: Eu


Qualquer pessoa na verdade é mais que uma pessoa. De certa forma, dentro de cada um, várias pessoas brigam para manter o controle. Para simplificar os conceitos freudianos: há o ego, a pessoa que mantém consciência, é racional, age em função de seus planos e idéias; além dele, há o superego, uma espécie de pai, moral que diz para você o que é certo e errado; por fim, há o id, uma criança, os impulsos primitivos. O problema não pára aí. Há o sujeito social, aquele que se regula pelo outros, calcula as expectativas desses antes de tomar uma decisão.
.
Quem é que deve ficar no comando do sujeito?
O que é mais produtivo em termos de carreira?



Na verdade, todos têm direito a palpitar e todos são úteis ou inúteis, a depender da situação. Vejamos:

· O lado racional: Usualmente esse é que tem de preponderar, para que se tomem as melhores decisões. O risco é o indivíduo tornar-se exageradamente racional e atrofiar todos os seus outros personagens, vale dizer, o emocional, o moral.
· O lado emocional: Sem emoção não há solução, poderíamos dizer. Além de colorirem a vida, de garantir o entusiasmo e a vibração com as conquistas, a emoção nos liga às outras pessoas, contagia-as. O perigo é que emoções passem a ocupar espaço exagerado, matando a racionalidade do sujeito.
· O lado social: Ter respeito e consideração pelos outros é ótimo. Mas, tornar-se um "para vereador", isto é, um sujeito que fica todo o tempo tentando agradar, é péssimo. Cultive boas amizades, importe-se com sentimentos alheios, queira agradar, queira ser bem-vindo e bem aceito. Mas, não se torne um camaleão.
· O lado moral: Reflete os valores - e dão valor à pessoa. O problema é que a tendência ao moralismo, à preponderância de uma atitude de "xerife do mundo", isto é, de indivíduo sempre pronto a julgar, condenar, isso é muito ruim. Tenha valores, mas não seja aprisionado por eles a ponto de inviabilizar suas relações com os outros.



* Partes do texto, escrito por José Antônio Rosa.
Obrigada a todos pelos comentários e por acompanhar o Blog da Mélica !

5 comentários:

Renata disse...

Oi Mélica!
Freud fez uma divisão didática interessante mas na verdade é o processo que ocorre relacionando cada uma dessas "partes", que nos faz sermos quem somos, ou seja que marca nossa personalidade. Aliás a psicanálise é muito fascinante em muitos pontos. Entretanto, quanto mais integrado for nosso "Eu", mais saudáveis e felizes seremos..

um gde bjo e ótima semana!

Claudio disse...

Vim agradecer a visita, o comentário e conhecer seu espaço.que por sinal é muito legal.

As portas do JCF estão abertas para você voltar sempre que quiser.

bjs

Dahi Penno disse...

Oisss!!
Nussa, descobri o blog hj e adorei!
^^

Add nos meus favoritos já...
bjãaaaaoooo
até mais

Olli disse...

texto muito interessante, esperamos sempre pegar a melhor parte de cada sujeito, espero conseguir.

Patty disse...

Muito interessante,Mélica!
Beijo e boa semana!!!

Creative Commons License
Blog licenciado - Creative Commons License.